Governo da Venezuela ocupa matadouros

Governo da Venezuela ocupa matadouros

30 NOV2018    TERRA
Governo de Nicolás Maduro promoveu reforma econômica com política de preços controlados
Governo de Nicolás Maduro promoveu reforma econômica com política de 
preços controlados


Foto: DW / Deutsche Welle

Caracas anuncia ocupação para evitar suposto contrabando de gado e carne. Governo alega que 21 matadouros afetados estavam violando política de preço controlado.O governo da Venezuela anunciou nesta sexta-feira (30/11) que ocupou 21 matadouros em todo o país por um período de 180 dias. Caracas afirmou que a medida tem como objetivo evitar o contrabando de gado e peças de carne e garantir a distribuição correta da mercadoria.

"Ocupamos temporariamente, por 180 dias, os matadouros que estão violando a política de preços controlados", disse o vice-presidente da área econômica da Venezuela, Tareck El Aissami, em pronunciamento transmitido pela emissora de televisão estatal VTV.
O vice-presidente destacou que a ocupação não afetará a estabilidade dos trabalhadores desses matadouros e disse que solicitou uma investigação sobre esses estabelecimentos. "Não vamos permitir que esse padrão ladrão, que pretendeu roubar o povo, siga fazendo das suas", acrescentou.
Aissami disse ainda que os donos dos matadouros "iniciaram, de alguma maneira, um boicote" após o congelamento dos preços em agosto, o que causou a escassez no setor. Ele afirmou também que a ocupação não afetará a venda em mercados internacionais de subprodutos do gado, como couro e colágeno.
A Venezuela atravessa uma severa crise econômica que se expressa em escassez de alimentos e medicamentos, além de hiperinflação, um indicador que o Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que fechará em 2.500.000% em 2018 no país.
Para amenizar a crise, Maduro aprovou no final de agosto um pacote de medidas que incluem o congelamento de preços de 25 produtos, cujo fornecimento é irregular em todo o país.
A grave crise econômica que afeta a Venezuela provocou um êxodo de centenas de milhares de venezuelanos. A ONU estima que 3 milhões já deixaram o país desde 2015. A maioria foi para a Colômbia e Peru.
Quem permanece no país enfrenta muitas dificuldades. Até 90% da população vive na pobreza e os venezuelanos perderam, em média, 11 quilos no ano passado, devido à falta de comida. Os hospitais não têm água e falta remédio para salvar pacientes com doenças crônicas.
Com uma economia dependente do petróleo, a Venezuela sofreu com a queda global do preço deste recurso, que se somou a má gestão financeira e política.
CN/efe/ots   TERRA

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.