Centro Paula Souza amplia oferta de modalidades de Ensino Médio em 2019





3.jan.2019


Centro Paula Souza amplia oferta
de modalidades de Ensino Médio em 2019

CPS Amplia Oferta De Modalidades De Ensino Médio Em 2019



Em adaptação à nova lei que regula a educação básica, a instituição colhe primeiros resultados dos novos cursos e propõe ampliação de parcerias
   


O ano de 2018 ficou marcado pelo pioneirismo do Centro Paula Souza (CPS) em oferecer novas modalidades de Ensino Médio em adequação à Reforma para a educação básica, aprovada em 2017. Com duas novas vertentes de Ensino já implantadas pela instituição e duas novas possibilidades no Vestibulinho do primeiro semestre de 2019, o CPS se adianta às normas se amparando nos mesmos princípios de educação de qualidade e desenvolvimento tecnológico em todas as esferas de atuação.

No Vestibulinho do primeiro semestre de 2018, 33 Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) passaram a ofertar o Ensino Médio com Habilitação Técnica Profissional (M-Tec), onde o estudante cursa em um único período disciplinas da grade curricular comum e do curso técnico de escolha. Os candidatos puderam optar entre Administração, Cozinha, Hospedagem, Logística, Nutrição e Dietética, Programação de Jogos Digitais, Química, Recursos Humanos, Serviços Jurídicos e Serviços Públicos. São cursos de 2.800 a 3.000 horas, diluídas em três anos de estudo.

Já para o segundo semestre, mais de 50 escolas optaram pela modalidade, chegando a quase 4 mil vagas no último processo seletivo. O curso mais concorrido, de Administração na Etec de Guarulhos, chegou à demanda de 32 candidatos por vaga. Os dados anuais serão comparados para adequar o processo de implantação dessas novas alternativas.

“Um dos primeiros indicadores de sucesso dessa experiência é quantitativo, já que só podemos avaliar qualitativamente após a formação das primeiras turmas”, pontua Almério Melquíades de Araújo, coordenador da Unidade de Ensino Médio e Técnico do CPS. “A procura das escolas para oferecer turmas do M-Tec mais que dobrou do primeiro semestre de 2018 para o de 2019 e teremos, neste ano, mais de 100 novas turmas”.

Ainda no primeiro semestre, 395 vagas foram criadas para o Ensino Médio com Qualificação Profissional, em que a carga horário da matéria profissionalizante é menor, de 600 horas, habilitando o aluno a exercer algumas funções no mercado de trabalho, como Administrador de Banco de Dados, Assistente de Recursos Humanos e Auxiliar Administrativo/Finanças/Marketing e Comercial.

As novas opções são complementares, e não substitutivas, ao que já existia no Centro Paula Souza. O Ensino Médio Regular e o Ensino Técnico integrado ao Médio – o aluno passa manhã e tarde na escola – continuam sendo oferecidos. Cabe às unidades de ensino avaliar e escolher o que melhor atende suas necessidades e de sua comunidade local, com constante acompanhamento da Unidade de Ensino Médio e Técnico do CPS. “O nosso objetivo não é extinguir as demais formas, mas entendemos que a principal responsabilidade das Etecs é a formação profissional, pois essa oferta é pequena quando comparamos com o número de escolas que oferecem o Ensino Médio Regular”, diz Araújo.

Novidades e parcerias

Ampliou-se em 2018, com os novos ensinos médios, a parceria com a Secretaria da Educação estadual. O CPS está presente em mais de 100 escolas da rede pública do Estado há dez anos, com as classes descentralizadas (turmas de cursos técnicos administradas por Etecs nas unidades da pasta), e também com o programa Vence. Agora, os professores da rede estadual integram os cursos de habilitação e qualificação nas disciplinas da base comum ao lado dos docentes do Centro Paula Souza.

Para 2019, será inaugurada também a formação de nível médio em Linguagens, Ciências Humanas e Sociais. O modelo é dedicado ao estudante com inclinação para essas áreas do conhecimento, com preparação mais dedicada para o futuro no Ensino Superior. A estrutura do CPS permite capacitar os professores e observar de perto a evolução da modalidade, ainda que o foco institucional seja o ensino profissionalizante. Neste ano, a instituição entrega cerca de 16 mil certificados de treinamentos de seu corpo docente.

Outro projeto em teste inicia com o ano letivo em 2019 em uma parceria inédita entre Etecs e Fatecs. No curso Ensino Médio com Habilitação Técnica Profissional em Desenvolvimento de Sistemas – Articulação dos Ensinos Médio-Técnico e Superior (AMS), o jovem começa o Ensino Médio na Etec, aprende uma profissão técnica, realiza estágio, e já ingressa no ensino superior para aprofundar seus conhecimentos na Fatec. Baseado no modelo internacional P-Tech, a modalidade articulada é uma parceria com a IBM e consolida a meta institucional de estar cada vez mais perto do setor produtivo, afinando as formações profissionais com as necessidades dos mercados regionais.

Na contramão das críticas

As críticas em torno da Reforma do Ensino Médio não condizem com a realidade das novas propostas do Centro Paula Souza para o Ensino Básico, afirma Araújo. Para o coordenador, a flexibilização traz benefícios a um modelo nacional fragilizado. “Achar que o Ensino Médio unitário atende a todos pode ser arrogante ou idealista. No Acre, no sertão da Bahia e em São Paulo não se sustenta que todos tenham a mesma formação. A ideia é de que a formação esteja contextualizada com a região, os jovens e suas famílias”, opina. “O discurso da reforma é a flexibilidade, para que o aluno faça o ensino mais de acordo com seus desejos e inclinações, fazendo com que ele permaneça na escola”.

Os currículos novos também levam em conta a pedagogia de projetos e as vocações de cada profissão, sem eliminar disciplinas que deixaram de ser obrigatórias por lei. “Propusemos, olhando a formação técnica, em que séries e com que carga-horária as disciplinas apareceriam, criando uma lógica de integração e não apenas de justaposição pura e simples das matérias”, conta o coordenador. “Se o curso é de eletrônica, física e matemática devem estar na primeira série, enquanto história pode ficar na segunda série. E aí é uma nova lógica, da construção do currículo integrando a formação cultural e científica com a profissional.”

O período letivo de 2019 começa em fevereiro para as 223 Etecs e as 72 Fatecs administradas pelo Centro Paula Souza.




A Etec Santa Efigênia, localizada na Capital, foi uma das escolas a implantar a modalidade M-Tec em 2018

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.