Comandante dos Bombeiros contraria afirmação de Zema: ‘Não estamos apenas atrás de corpos’

Comandante dos Bombeiros contraria afirmação de Zema: ‘Não estamos apenas atrás de corpos’

JOVEM PAN


Trabalho da corporação continuará durante a noite e a madrugada

O Corpo de Bombeiros continuou realizando buscas por sobreviventes neste sábado (26) na região que foi atingida por um “mar de lama” após o rompimento de uma barragem em Brumadinho, Minas Gerais. E, de acordo com o comandante Anderson de Almeida, continuará com essa meta por tempo indeterminado.
“Pode haver sobreviventes. Vamos continuar trabalhando sempre com essa possibilidade. Não estamos atrás de corpos. Estamos atrás também de pessoas ilhadas e até mesmo de pessoas soterradas”, disse em entrevista em um dos locais críticos durante a tarde.
A afirmação contraria o que foi dito horas antes pelo governador do estado, Romeu Zema. Em entrevista coletiva, ele havia dito que eram poucas as chances de resgatar vítimas com vida da tragédia. “Vamos resgatar somente corpos”, afirmou na ocasião.
“O governador disse ‘corpos’. Podem ser corpos de vítimas fatais e não fatais! A pessoa pode estar desmaiada, por exemplo, e nós não termos certeza na hora do resgate. Tem a possibilidade de existirem sobreviventes, sim”, ressaltou o comandante.

Equipes especializadas

Questionado sobre os detalhes do serviço que a corporação tem realizado, Anderson de Almeida declarou que cerca de 205 bombeiros estão atuando na região, sendo que 175 deles são especialistas nesses tipo de ocorrência.
“Estamos trabalhando com equipes de Belo Horizonte, Juiz de Fora, Uberaba, Rio de Janeiro, além da Força Nacional. Todos especializados. Aqueles que não são estão trabalhando à margem, fazendo buscas que serão interrompidas com o fim da luz do sol. Já as buscas dos especializados continuarão. Eles farão revezamentos para descanso, mas não vão parar durante a madrugada”, explicou.

Sobre as vítimas

O comandante afirmou também que, até o momento, todos os desaparecidos são funcionários fixos ou terceirizados da mineradora Vale. Segundo ele, não há registros de vítimas que não estavam na empresa no momento do rompimento da barragem.
“Nós trabalhamos com indícios. Até agora, nenhum posto recebeu reclamação de desaparecidos que não são funcionários”, contou. “A Vale nos passou a lista de nomes, inclusive de terceirizados. Ela está disponível no site da companhia.”

Rio Paraopeba

Por fim, Almeida não soube informar a atual situação do Rio Paraopeba. “Não sabemos informar até onde o rejeito chegou. Nossa prioridade é a busca de vítimas. Esse monitoramento não temos ainda”.
JOVEM PAN

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.