Condenados por maior chacina de SP continuam na PM e com salários em dia

25/01/2019
Condenados por maior chacina de SP continuam na PM e com salários em dia
BAHIA.BA

Reprodução

O estado de São Paulo paga, mensalmente, salários a dois policiais militares presos e condenados por participação na maior chacina registrada em São Paulo, segundo reportagem do portal UOL. O crime ocorreu entre 8 e 13 de agosto de 2015, nas cidades de Osasco, Carapicuíba, Barueri e Itapevi. Ao todo, 23 pessoas foram assassinadas naquele período.
De acordo com a publicação, foram condenados por participação na chacina os policiais militares Fabrício Emmanuel Eleutério, Thiago Barbosa Henklain e Victor Cristilder Silva dos Santos, além do guarda municipal Sérgio Manhanhã, servidor da cidade de Barueri.
Os dois primeiros PMs foram condenados em 1ª instância, em setembro de 2017, a mais de 240 anos de prisão cada um. O terceiro, condenado a 119 anos em março de 2018.
O soldado Eleutério, que, quando investigado, integrava a Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), recebe mensalmente R$ 2.923,70. Ele foi condenado a 255 anos, 7 meses e 10 dias de prisão por participação em 17 dos 23 homicídios ocorridos em agosto de 2015.
“O Fabrício recebe salário por força de decisão judicial, uma vez que não foi excluído da Polícia Militar. O processo administrativo ainda está tramitando”, afirmou a advogada do soldado, Flávia Artilheiro.
BAHIA.BA

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.