Mourão: “Quem ameaça parlamentar comete crime contra a democracia”



Mourão: “Quem ameaça parlamentar comete crime contra a democracia”




As declarações foram dadas no fim da manhã desta sexta-feira, na porta da vice-presidência, em Brasília

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB), afirmou nesta sexta-feira (25/1) que pessoas que ameaçam parlamentares cometem “um crime contra a democracia”.
A declaração foi uma resposta ao questionamento de jornalistas sobre a decisão do agora ex-deputado Jean Wyllys (PSol), que anunciou na quinta-feira (24/1) que vai deixar o cargo e o país devido a ameaças que estaria sofrendo.
“Quem ameaça parlamentar está cometendo um crime contra a democracia. Uma das coisas mais importante é você ter sua opinião e ter liberdade para expressar sua opinião”, disse Mourão.
As declarações foram dadas na porta do prédio da vice-presidência, no fim da manhã. Com o retorno do presidente Jair Bolsonaro (PSL) ao país, Mourão volta à posição de vice-presidente.
Entenda
Jean Wyllys anunciou na quinta-feira que estava partindo do Brasil devido a uma série de ameaças que sofreu pelas posições que defendeu como parlamentar.
A decisão, segundo informou o próprio deputado em postagem nas redes sociais, foi tomada por medo de ameaças de morte, que teriam sido intensificadas nos últimos meses. A informação de que ele abdicou do mandato foi confirmada pela assessoria de imprensa do partido na Câmara dos Deputados.
O parlamentar, que está de férias no exterior, publicou uma mensagem de despedida nas redes sociais. “Preservar a vida ameaçada é também uma estratégia da luta por dias melhores”, disse.
METRÓPOLES

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.