Igreja Católica admite que destruiu provas sobre abusos sexuais



Igreja Católica admite que destruiu provas sobre abusos sexuais

DCM  23/02/2019


Praça de São Pedro no Vaticano. Foto: Wikimedia Commons

A Igreja Católica destruiu documentos sobre padres pedófilos, permitindo que estes continuassem a cometer abusos. Desta vez não se trata de uma acusação, mas sim uma admissão de um dos cardeais mais importantes do Vaticano. O alemão Reinhard Marx, figura próxima do Papa Francisco, afirmou que, durante décadas, a Igreja ignorou os direitos das vítimas e protegeu membros do clero envolvidos em escândalos sexuais.
“Ficheiros que poderiam ter documentado actos horrendos e revelado o nome dos seus responsáveis foram destruídos, ou nem chegaram a ser redigidos. Os procedimentos estipulados para julgar estes crimes foram deliberadamente ignorados, e até antes revogados. Os direitos das vítimas foram espezinhados”, lamentou Marx, presidente da Conferência Episcopal Alemã, que em Setembro de 2018 apresentou publicamente um pedido de desculpa às vítimas de crimes sexuais.
A prática de ocultar a identidade de abusadores e transferi-los para outras paróquias repetiu-se ao longo de várias décadas em diversos países, permitindo a um número indeterminado de padres pedófilos escapar à justiça e reincidir nos crimes.
(…)
DCM

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.