Prefeitura de Ourinhos anuncia soluções para problemas crônicos da água, esgoto e lixo


MAIS AVANÇOS
         Prefeitura de Ourinhos anuncia soluções para problemas crônicos da água, esgoto e lixo



         O Prefeito Lucas Pocay anunciou em sua rede social na internet, soluções para os três problemas crônicos que assolam Ourinhos há mais de 30 anos: tratamento de esgoto, aterro sanitário e falta d’água. Um edital está sendo elaborado para ampliação da Estação de Tratamento de Água e um novo poço profundo será construído no Jardim Itamaraty.
         Macromedidores também estão sendo instalados na rede para identificar vazamentos. Em relação ao esgoto, a Prefeitura vai lançar edital para a concessão do tratamento 100%. Quanto ao lixo, a solução alcançada a curto prazo é a instalação de uma central de transbordo fechada em nova área.
         DÍVIDAS E MULTAS
         Coleta e disposição do lixo, tratamento de esgoto e abastecimento de água são todos de responsabilidade da SAE (Superintendência de Água e Esgoto), mas devido ao sucateamento da Autarquia, muito pouco se investiu para oferecer serviços básicos de qualidade. As gestões passadas deixaram multas de mais de R$ 4 milhões por irregularidades no deposito de lixo e contratações irregulares da SAE, fora a dívida de R$ 8,5 milhões acumulada por déficits da autarquia entre 2014 e 2016.
         “Em 2017, quando assumimos, pegamos problemas no lixo, água e esgoto. Existem duas ações de R$ 600 mil porque o Ministério Público julgou irregular contratações da SAE sem concurso público. Outra ação de multas diárias de R$ 10 mil pela situação do aterro, que já está em mais de R$ 2 milhões. Há multas da Cetesb que passam de R$ 800 mil por causa também do aterro sanitário”, informa Lucas Pocay.
         A SAE possui um Plano de Saneamento do ano de 2010. O documento revela que para acabar com a falta d’água em Ourinhos seria necessário investir na ampliação da Estação de Tratamento de Água, o que custaria em torno de R$ 10 milhões.
         ÁGUA
         No entanto, apesar das dívidas astronômicas, a política de cortes de gastos da atual gestão, deixou saldo positivo de R$ 14 milhões na SAE disponíveis para investimentos. “Em dois anos conseguimos fechar bem as finanças da SAE. Hoje temos recursos para ampliar a ETA. Estamos finalizando o edital. Um novo poço profundo será construído na região do Itamaraty. Compramos macromedidores para definir quanto se perde em vazamentos nas tubulações. Estima-se que só 40% chega nas casas da população. Não existe mágica. É preciso ser transparente. Nosso compromisso é com a população e com a verdade. Estamos avançando em todas as áreas sempre com transparência”, diz Lucas.
         ESGOTO
         “Em relação ao tratamento do esgoto nós fizemos um Procedimento de Manifestação de Interesse e agora está sendo elaborado um edital para concessão do tratamento do esgoto 100%, de forma adequada. Hoje são duas lagoas, 50% para o Rio Pardo e 50% para o Paranapanema. Um dos Termos de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público é justamente a construção de uma estação de tratamento de esgoto. O procedimento é burocrático e lento, mas saneamento é saúde pública e vamos resolver esse problema”, informa.
         LIXO
         “O aterro que fica ao lado do aeroporto não tem licença para funcionar. Estamos operando por liminar, mas estamos avançando com projetos. A curto prazo a solução é uma central de transbordo fechada. O lixo é despejado em containers e depois levado para um aterro licenciado em outro município.”

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.