Bolsonaro não descarta apoiar intervenção dos EUA na Venezuela

Bolsonaro não descarta apoiar intervenção dos EUA na Venezuela
Alexandre Gimenez, do UOL

Após reunião com o presidente americano Donald Trump na tarde de hoje, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que o Brasil e os Estados Unidos "farão o possível" no combate à ditadura de Nicolás Maduro e não descartou ceder o território brasileiro para uma possível intervenção militar norte-americana na Venezuela.

Bolsonaro, ainda, pediu desculpas por ter dito que os imigrantes nos Estados Unidos têm más intenções. "Aquilo foi um equívoco meu. Boa parte tem boas intenções. A menor parte, não".

Já Trump disse que apoiará a pretensão brasileira de entrar na OCDE. O norte-americano elogiou o trabalho de Eduardo Bolsonaro (PSL). "O filho [Eduardo] do presidente foi fantástico, por favor, fique de pé. O trabalho que realizou durante um período muito difícil foi fantástico, eu sei que é algo que seu pai fica muito grato de ver. Muito obrigado, trabalho fantástico", disse.

Para o jornalista Josias de Souza, colunista do UOL, Bolsonaro faz parceria com Trump, não com EUA. Para Igor Gielow, da Folha de S.Paulo, a concessão do status de aliado prioritário extra-Otan pelo governo de Donald Trump ao Brasil é um marco nas relações político-militares entre os dois países.
Já a mídia americana disse que "Bolsonaro é espelho de Trump e bajula o norte-americano".

UOL

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.