Quatro escolas do DF têm sido alvo de ameaças de alunos, diz secretário

Quatro escolas do DF têm sido alvo de ameaças de alunos, diz secretário

CORREIO BRAZILIENSE

De acordo com o secretário Rafael Parente, estudantes 'estão fazendo ameaças e deixando recados escritos e nos banheiros' das instituições


O secretário de Educação do DF, Rafael Parente, disse que a pasta tem registrado casos de ameaças feitas por estudantes em escolas da rede pública. A afirmação foi feita nesta sexta-feira (15/3), dois dias depois do ataque a um colégio em Suzano (SP) e no mesmo dia em que um professor da rede de ensino entrou armado no prédio da Secretaria, procurando pelo secretário.

Ao Correio, Parente contou que quatro casos estão sendo investigados. Segundo ele, os estudantes "estão fazendo ameaças e deixando recados escritos e nos banheiros" das instituições. O secretário alegou, porém, não poder dar mais informações sobre os episódios para não atrapalhar as investigações.

Mais cedo, o titular da pasta usou o Twitter para confirmar a invasão do prédio e para falar sobre as ameças. "É fato que um homem entrou armado na Sede I [da Secretaria de Educação] agora. Ele já foi preso e não conseguiu agir", afirmou. "Também é fato que estamos registrando alguns casos de ameaças de alunos. A Secretaria de Segurança e toda a inteligência do Governo do Distrito Federal já estão em ação, dentro de algumas escolas e à paisana", acrescentou.
 
 
A reportagem procurou a Secretaria de Segurança, mas, até a última atualização, não obteve retorno. 

Invasão

Um professor da Escola de Música, de 53 anos, foi detido, nesta sexta-feira (15/3), após entrar armado com uma faca e uma besta (arma que lança dardos) no prédio da Secretaria de Educação do Distrito Federal e pedir para falar com o responsável pela pasta, Rafael Parente. 

A segurança do órgão agiu e o deteve já na antessala do gabinete do secretário, no 12º andar, acionando em seguida a Polícia Militar, que o levou algemado para a 5ª Delegacia de Polícia (Asa Norte). O prédio onde funciona a secretaria, no Setor Bancário Norte, foi isolado.

Segundo o sargento Ado, que atendeu a ocorrência, quando o professor chegou à antessala do secretário, a segurança estranhou e o deteve, fazendo com que ele se sentasse. Enquanto alguns agentes tentavam acalmá-lo, o chefe da segurança acionou a Polícia Militar.

CORREIO BRAZILIENSE

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.