Vereador e prefeito de Belo Jardim investigados por suposta mesada de R$ 5 mil

Vereador e prefeito de Belo Jardim investigados por suposta mesada de R$ 5 mil

OP9


Ministério Público de Pernambuco investiga a denúncia. Foto: Reprodução/Google Maps
Ministério Público de Pernambuco apura se o prefeito Hélio dos Terrenos (PTB) ofereceu a verba ao vereador “Pitomba da Lotação”
Março 28, 2019
O prefeito e o vice-presidente da Câmara de Vereadores de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco, estão na mira do Ministério Público de Pernambuco (MPPE). O órgão apura uma denúncia feita pelo vereador Jonas Chagas Torres, conhecido como “Pitomba da Lotação” (DEM).
Em pleno discurso no legislativo municipal, ele afirmou que o prefeito Hélio dos Terrenos (PTB) teria lhe oferecido uma suposta mesada de R$ 5 mil, além da oportunidade de indicar 25 pessoas para trabalharem na prefeitura. Tudo isso em troca de apoio político à sua gestão.
O pronunciamento de Pitomba da Lotação aconteceu no dia 5 de fevereiro deste ano. Apesar de externar a indecorosa proposta, que teria sido gravada, o vereador garantiu que não denunciaria o caso às autoridades competentes. Mas, em plena era de redes sociais o fato chegou aos “ouvidos” do MPPE.
Não se sabe se o vereador resolveu revelar a proposta na frente de todos na certeza de impunidade, no desconhecimento da lei ou por mera ingenuidade, mas, agora, ele também será investigado e pode sofrer punição por não ter denunciado a proposta. Já o prefeito pode ser acusado de corrupção passiva. A decisão de abrir inquérito foi publicada no Diário Oficial do último dia 22.
Política em baixa…
Localizada a 187 quilômetros da capital pernambucana, Belo Jardim vive um cenário político delicado. Rodeado por denúncias, Hélio entrou na prefeitura após o antigo prefeito, João Mendonça, ser afastado do cargo por determinação judicial. Ele foi acusado de improbidade administrativa com dano ao erário e enriquecimento ilícito.
Foi realizada, então, uma eleição suplementar em 2017 e Hélio dos Terrenos foi eleito. Mas durante os dois anos no comando do Executivo Municipal, ele virou alvo de várias investigações. No ano passado, foi condenado pela Justiça Eleitoral por supostamente ter doado alimentos e patrocinado eventos com vistas na eleição. Ele recorreu na decisão e aguarda o desfecho.
O prefeito também enfrentou um processo de impeachment na Câmara em 2018, mas o procedimento foi arquivado.
blog ligou para assessoria de imprensa de Hélio dos Anjos, mas o celular estava desligado. A reportagem também não conseguiu contato com o vereador Pitomba da Lotação.
OP9

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.