Saúde intensifica ações no combate a dengue; Ourinhos tem 28 casos confirmados


Saúde intensifica ações no combate a dengue; Ourinhos tem 28 casos confirmados



         A Prefeitura de Ourinhos, por meio da Secretaria de Saúde, tem intensificado as ações no combate a dengue na cidade. Para isso, a equipe do núcleo de vetores, da vigilância epidemiológica, por meio do trabalho de 40 agentes de endemias, tem feito ações estratégicas em diversos bairros para impedir a proliferação do mosquito Aedes Aegypti.
         Até sexta-feira (29), Ourinhos contabilizava 28 casos de dengue, sendo 16 autóctones (transmissões no município) e 12 importados (vindos de outras cidades). O índice é o mais baixo entre cidades da região. Os bairros que tiveram casos confirmados foram Jardim São Carlos, Itajubi, Helena Brás Vendramini, Vila Marcante, Vila Boa Esperança, Itamaraty, Jardim Paulista, Jardim Flórida, Vila Sá e Vila Margarida.
         Segundo a Chefe em Vigilância Epidemiológica, Célia Exposto, os bairros que recebem ações de nebulização nesta semana, devido as notificações de suspeita, são o Jardim Matilde, Cohab e Ouro Verde. Célia chama a atenção sobre a importância do trabalho realizado pelos agentes de endemias.
         “Esses agentes são divididos por setor. Uma parte visita imóveis que possuem grande fluxo de pessoas, outro grupo visita imóveis com propensão a focos de criadouro, como ferro velho, sucatas, entre outros e outra parte faz vistoria de imóveis residenciais. Neste último caso, a vistoria é acompanhada pelo dono do imóvel que entra no imóvel, observa os pontos comuns de possível criadouro e elimina o foco com larvicida ou faz a devida orientação nos cuidados em caso de piscina e locais que não podem ser eliminados.”
         Ela destaca que o trabalho de combate ao mosquito da dengue tem sido feito de forma coletiva, entre os órgãos, população, poder público municipal e estadual.
         “A partir do momento que tem identificada uma suspeita, automaticamente, a vigilância epidemiológica é notificada. É preparada uma ação de nebulização em um raio de 200 metros do imóvel e é feito um bloqueio de criadouros. Este trabalho é realizado por agentes do Estado que são capacitados para distribuir o veneno.”


         Célia ressalta que a melhor maneira de obter êxito é através da conscientização popular.
         “O trabalho do agente é na verdade de salvar vidas, porque só através da eliminação do foco de dengue que podemos evitar a contaminação e a transmissão. Várias cidades da região já estão com epidemia e nós temos trabalhado de forma a mostrar para a população que o agente não é punitivo e sim preventivo. A única maneira de evitar transmissão de doença da dengue, Zika Vírus, Chikungunya, Febre Amarela, é evitando focos. Se a população tiver uma atenção especial voltada para isso, será decisivo nesta luta”.
         A chefe de vigilância epidemiológica comenta que, apesar das divulgações sobre a transmissão, os vasos de flores ainda são os maiores portadores de focos proliferadores de larvas da dengue.
         “As pessoas precisam parar de achar que essa é uma responsabilidade apenas do poder público. Se a população fizer sua parte, o poder público não precisará parar outras responsabilidades para se ater aquilo que o munícipe pode fazer dentro da sua casa, mantendo seu local limpo, não jogando entulho em áreas públicas, entre outras formas de ajudar.”
Ela destaca o decreto do Prefeito Lucas Pocay de abril de 2018 criando uma brigada de combate num trabalho em conjunto das secretarias para manter a cidade livre de riscos.
         “Temos feito muitas ações com o esforço de todos, desde a limpeza de terrenos frequentes até palestras e orientações nas escolas, o que tem sido fundamental nesta luta. Porque apenas assim, numa conscientização coletiva e o esforço de todos, nós venceremos essa guerra.”


Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.