Suspeita de atrair alvo do PCC diz que ex ‘só queria um pedaço’ do decapitado

Suspeita de atrair alvo do PCC diz que ex ‘só queria um pedaço’ do decapitado

MIDIAMAX

Naiara prestou depoimento na tarde desta segunda-feira

Cleber Rabelo e Dayene Paz  - 01/04/2019

Naiara Carolina Menezes Lopes, prestou depoimento no Tribunal do Júri de Campo Grande, na tarde desta segunda-feira (1°), acusada de ter atraído o ex-namorado Richard Alexandre Lianho, de 25 anos, para uma emboscada que resultou em sua morte, em fevereiro de 2017. Cinco são acusados pelo crime, dois deles são menores de idade e um, Leandro Oliveira, 26 anos, conhecido como HB 20, foi assassinado dias depois da morte de Richard.
De acordo com Nayara, o crime teria sido arquitetado por integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital), já que entre eles estaria o também ex-namorado HB 20, com quem tem um filho. A acusada contou que foi abordada, teve o celular subtraído e foi mantida, junto com o filho, em cativeiro. Os assassinos usaram o celular de Nayara para atrair Richard.
A vítima, que era de uma facção criminosa rival, o CV (Comando Vermelho), foi submetida ao tribunal do crime e depois, levada até a Cachoeira do Céuzinho para execução. Nayara contou que ficou sabendo da execução após três dias. Ela disse ainda, que não fez nada por conta própria e durante todo o tempo era ameaçada, pois Leandro não aceitava o fim do relacionamento.
Também prestaram depoimento, o irmão do Richard e 4 policiais que contaram como foi o caso e o envolvimento da acusada no crime. Um dos policiais informou que Leandro queria apenas “um pedaço de Richard”, mas a execução teria sido ordenada pelo PCC, fato que foi confirmado por Nayara.
O caso foi desmembrado e dos cinco envolvidos, dois menores respondem ao processo em Unei (Unidade Educacional de Internação). Leandro foi assassinado no mesmo mês e Rafael da Silva Duarte, acusado de participar da conferência de julgamento e levar os adolescentes para a execução, já foi julgado e condenado a 22 anos de prisão, restando apenas Nayara para ser julgada.

Execução de Richard

Richard Alexandre foi morto em fevereiro de 2017, e seu corpo encontrado na Cachoeira do Céuzinho. A execução foi gravada e compartilhada nas redes sociais. Nas imagens gravadas do crime, Richard, dá um aviso para quem faz parte da facção rival CV (Comando Vermelho), “ pra todo mundo, todo o CV que está aí, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, na penitenciária aí, na rua, pra sair tudo jogado que o que está acontecendo comigo pode acontecer como você também”.
São 74 segundos de gravação. Com as mãos amarradas, Richard, vestindo uma camisa azul faz a afirmação já citada, e na sequência, os homens que o seguram disparam pelo menos 4 tiros. Eles chutam o corpo caído e um dos homens aparecem cortando os braços com uma faca.

Morte de HB20

Leandro de Oliveira, de 26 anos, foi encontrado morto e carbonizado no aterro sanitário de Campo Grande, no Jardim Noroeste, também em fevereiro de 2017.
Tiago Maurício de Andrade, de 27 anos, o ‘Tinga’, foi preso e confessou o crime. Ele revelou ter matado Leandro com pedradas e depois que a vítima já havia morrido, colocou o corpo embaixo de um colchão e pneus e ateou fogo. Para a polícia, ele disse apenas que tinha uma briga antiga com Leandro e, por isso, cometeu o crime. A investigação, no entanto, aponta que o caso está ligado com vingança e guerra entre facções criminosas.
MIDIAMAX

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.