Vacinar o bicho de estimação tem a ver com a saúde dos humanos também



Vacinar o bicho de estimação tem a ver com a saúde dos humanos também

BEM PARANÁ


“Melhor prevenir do que remediar” – o provérbio deve ser aplicado também quando o cuidado se refere aos animais de companhia. “Assim como nós humanos, o animal igualmente deve ter sua carteira de vacinação em dia. Isso está diretamente ligado à saúde, longevidade e ao seu bem-estar”, diz Fabiana Avelar, médica-veterinária e gerente de produtos de Animais de Companhia da Zoetis.
“São as vacinas que garantem a proteção imunológica do animal”, completa Alexandre Merlo, gerente técnico de Animais de Companhia da Zoetis.
Pensando na importância da prevenção por meio da vacinação e na produção de informação para os tutores sobre doenças que acometem cães e gatos, a Zoetis lançou em seu site um espaço dedicado a este tema. “Acessando o site, as pessoas poderão escolher entre cães e gatos, direcionando o conteúdo de seu interesse, em um ambiente exclusivo para cada animalzinho”, explica Fabiana.
No site há informações relativas a algumas das principais doenças, prevenção por meio da vacinação e o que esperar após a vacinação. “Além disto, publicaremos semanalmente em nossos canais do Facebook e do Instagram conteúdo relativo a cuidados com a saúde de cães e gatos, mantendo os tutores sempre informados”, diz. “Queremos produzir conteúdo para os tutores, que também buscam informações sobre prevenção e vacinação na web. Mas, é importante lembrar que nada substitui a figura do médico-veterinário, profissional capacitado para melhor atender as necessidades de cada animal”, enfatiza Fabiana.
De acordo com as recomendações atuais, cães e gatos devem ser vacinados logo nos primeiros meses. Terminado esse ciclo preventivo inicial, a vacinação deve ser feita anualmente ou a critério do médico-veterinário.
“Essa prevenção é importante não só para os animais como também para a proteção de seus tutores, já que algumas doenças de cães e gatos (como leptospirose e giardíase em cães e a raiva em cães e gatos) são zoonoses, ou seja, podem passar do animal para o ser humano”, finaliza Merlo.
BEM PARANÁ

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.