Oficial boliviano preso por tráfico de drogas é casado com “Rainha do Narcotráfico”



Oficial boliviano preso por tráfico de drogas é casado com “Rainha do Narcotráfico”

TERÇA LIVRE

Esther Guiguita Fernandes - Evo Morales

Capitão Fernando Moreira Morón, um dos três oficiais detidos na Bolívia por envolvimento com o narcotráfico internacional, é casado desde agosto de 2017 com Esther ‘Guiguita’ Arteaga, conhecida como “Rainha do Narcotráfico”.
O capitão e ex-diretor da Força Especial de Luta Contra o Crime (FELCC), foi preso após aparecer em uma foto ao lado de Pedro Montenegro Paz, um narcotraficante internacional procurado pela Interpol, com ordem de extradição ao Brasil desde 2015.
A foto foi tirada no carnaval de Cartagena das Índias, na Colômbia.
Fernando moreira - Pedro Montenegro - kurt german
Fernando partiu da Bolívia no dia 2 de março com uma parada no Panamá, onde teria deixado pacotes com cocaína, em seguida partiu à Colômbia e retornou no dia 7 do mesmo mês.
Ele respondia diretamente ao ministro de Governo, Carlos Romero, de Evo Morales, e dirigiu a FELCC de 2016 a 2019.
A investigação dos casos que envolviam o capitão, resultou na demissão suspeita do comandante da polícia boliviana, Romulo Delgado, conforme noticiado pelo Terça Livre.
Evo Morales, Brasil e a Interpol - 
Capitão Fernando foi preso preventivamente dia 24 de abril em Santa Cruz, na Bolívia.

Quem é a Rainha do Narcotráfico, Esther ‘Guiguita’ Artega, casada com o capitão?

Esther se casou com o capitão Fernando em agosto de 2017, na Bolívia. A festa do casamento aconteceu num condomínio em El Remanzo 3, um bairro de traficantes famosos na Bolívia, onde vive por exemplo o filho do narcotraficante mexicano, El Chapo Guzmán, preso em fevereiro deste ano.
Ela não ganhou o apelido de Rainha do Narcotráfico sem mérito, a ficha da moça não é curta.
Artega e um ex-marido, David ‘Payo’ Paz Tufiño, foram presos em 2011 por tráfico de drogas e dois homicídios. A polícia invadiu a casa do casal e encontrou dez armas de fogo, que foram apreendidas, e três veículos.
O casal acumulou bens e dinheiro de origem duvidosa e a defesa não soube como sustentar as propriedades no tribunal.
Em maio daquele ano, Gisela Stroeser e Vanessa Becerra Suárez, saíram para jantar em Santa Cruz e desapareceram. A Inteligência descobriu que o casal havia assassinado as duas e dissolvido os corpos em ácido. Segundo a apuração na época, uma das duas vítimas teria planejado sequestrar David porque sabia que ele tinha dinheiro para pagar.
A pesquisa das autoridades revelou que o casal acumulava bens ilícitos, no mínimo, desde 2009.
David trabalhava com o cartel de Sinaloa que opera em El Chapare, na Bolívia.
O juiz ordenou que fossem trancados na presídio de Palmasola em agosto de 2011.
Ela tem um filho de 8 anos com David Paz Tufiño, mas ele não foi o primeiro traficante a entrar na vida da Rainha do Narcotráfico. Antes de David, ela casou-se com Carlos Cossio Lid em 2005.
Cossio adotou outro nome depois de ser processado e condenado 2015. Ficou preso em Palmasola, cumpriu 5 anos por tráfico de drogas. Ele tinha antecedentes internacionais, pelo envio de cocaína à Espanha. Esther atuava com ele, mas não foi presa na ocasião porque tinham um filho, que hoje tem 18 anos. Ele foi preso sozinho porque há uma lei na Bolívia que proíbe que pai e mãe de crianças sejam presos juntos, para manter o núcleo familiar.
No país de Evo Morales o tráfico de drogas dá uma condenação máxima 25 anos de prisão, enquanto o transporte de drogas apenas 8 anos.
Enquanto Cossio estava preso sozinho, ela se casou com David, certamente para ‘manter o núcleo familiar‘, que a legislação defende.
A Rainha do Tráfico é ciumenta, ela espancou em abril deste ano a modelo chinesa Suen Wang que mora na Bolívia. O marido na altura, capitão Fernando, estava chantageando a modelo. O capitão havia gravado um vídeo pornográfico com a modelo e a extorquia: se ela não pagasse, ele divulgava.
Suen Wang é publicamente feminista. Ela foi à delegacia dar queixa da extorsão. Logo em seguida Esther a encontrou e deu-lhe uma surra. A chinesa denunciou a Rainha à Força Especial de Luta Contra a Violência (FELCV), por agressão e ameaça de morte.
Sue Wang
O irmão, Eduardo Arteaga, também é narcotraficante. Ele foi preso com drogas no aeroporto de Viru Viru, em Santa Cruz. Junto com o irmão, ela transportava aproximadamente 8 quilos de cocaína.
Nesta quarta-feira (8/5), o fiscal da Força Especial de Luta Contra o Narcotráfico (FELCN), Gerardo Balderas, acusou-a no Ministério Público de envolvimento com Pedro Montenegro Paz, o traficante boliviano procurado pela Interpol, com ordem de extradição ao Brasil desde 2015.
Outras fontes informaram que Esther Guiguita Arteaga trabalhava com o general Oscar Hugo Nina Fernandez para o cartel Sinaloa.
Oscar tornou-se diretor do FELCN em 2008, após a saída da Bolívia da Agência Antidrogas dos EUA (DEA) no mesmo ano. Depois ele subiu de cargo até se tornar general de polícia nacional boliviana em 2010. Em 2011 foi preso por tráfico de drogas, e em 2015 foi transferido para detenção de Palmasola.

Como aconteceu o relacionamento?

David e Oscar trabalhavam para os traficantes mexicanos no cartel de Sinaloa, de El Chapo.
Capitão Fernando investigava David e conheceu a esposa, Esther.
Temendo a prisão, David deixou o país.
Esther estava “livre”, entende? De repente, ela e o capitão “se apaixonaram“.
O novo casal do tráfico daria um seriado inteiro.

O que ninguém estranha é que…

Todos estes altos cargos de polícia, são aprovados pessoalmente pelo vice-ministro de substâncias controladas, Felipe Cáceres, pelo ministro de Governo, Carlos Romero, e pelo presidente, Evo Morales.
É tudo coincidência. Pura coincidência. Só coincidência…
TERÇA LIVRE

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.