Suspeita de atentado a escola da Grande Curitiba causa pânico entre pais e alunos



Suspeita de atentado a escola da Grande Curitiba causa pânico entre pais e alunos
TRIBUNA DO PARANÁ


Um alerta emitido pela Secretaria Municipal de Educação de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), deixou pais de alunos e funcionários em pânico nesta quinta-feira (2). Isso porque o aviso informava da suspensão das aulas na Escola Municipal Professora Eglé Machado Pinto, que fica no bairro Capela Velha, por suspeita de que um adolescente estaria planejando um atentado à instituição.
“A Secretaria Municipal de Educação informa que por precaução e visando a segurança dos estudantes, as aulas da Escola Municipal Professora Eglé Machado Pinto estão suspensas”, diz o aviso emitido pelas redes sociais.
Ainda conforme a Secretaria Municipal de Educação, os responsáveis pelos estudantes do período da manhã podiam buscar as crianças. Este alerta deixou pais em pânico e, nas redes sociais, muita gente se alarmou para a questão principal de preocupação com os alunos.
“E em relação ao moleque, quais providências vão ser tomadas? Porque amanhã mandamos nossos filhos e acontece coisa pior. As crianças estão com medo e a polícia vai estar todos os dias para dar segurança?”, disse uma mulher, cobrando atitude não só da polícia, como também da prefeitura de Araucária e da própria Secretaria Municipal de Educação. “Vão estar algo pior acontecer?”.
O que acontece na escola ainda é incerto, mas se sabe que um aviso começou a circular primeiro pelo whatsapp, e nessa mensagem a pessoa dizia que o rapaz estava tentando incendiar a instituição. A informação ainda dava conta de que o adolescente, que tem 14 anos, estaria armado e queria matar a diretora da escola.
Em contato via telefone, a reportagem da Tribuna do Paraná apurou que a diretora foi para a Delegacia de Araucária junto com a mãe do adolescente. Não se sabe se ele realmente estava armado e se foi apreendido. Pelas redes sociais, um comentário dizia que o menino precisava de uma atenção especial. “Esse menino já tinha que estar em uma clínica para ser tratado, pois já está dando sinal que não está bem. Esperam o pior acontecer, ele também precisa de ajuda”, disse uma mulher.

Medo toma conta

A suspensão só valeria para esta quinta-feira e as aulas estariam normalizadas na sexta (3). Isso também foi motivo de revolta entre os pais, que desabafaram nas redes sociais. “As aulas deveriam voltar na segunda-feira, ameaça é ameaça, não podemos esperar o pior acontecer”, disse uma mulher. “Só levarei meu filho à escola novamente na segunda-feira, quando estiver totalmente seguro”, disse outra mãe.
Aos pais, a Secretaria Municipal de Educação informou, também pelas redes sociais, que a situação estava controlada. “A Polícia Militar já esteve no local fazendo uma vistoria e nada foi encontrado, no momento a Guarda Municipal está no local”, disse a página do órgão pelo Facebook.
A reportagem tentou contato com a Secretaria Municipal de Educação, mas não obteve êxito na ligação. A Guarda Municipal informou apenas que estava na escola, mas não deu detalhes.
TRIBUNA DO PARANÁ

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.