Conselho de Medicina regulamenta consulta e até cirurgias online


Denarc apreende 500Kg de cocaína em 'compartimento secreto' de caminhão



Pesquisa da UnB mostra que 30 milhões de empregos serão substituídos por robôs até 2026


Tráfico exibe arsenal de fuzis e metralhadoras no Morro da Serrinha, em Madureira

Bolsonaro continua com sonda, fez tomografia e segue sem complicações, diz boletim médico


Moro anuncia medidas 'objetivas' contra corrupção, crime organizado e crime violento


25 ex-parlamentares devem ter processos da Lava Jato enviados pelo STF para instâncias inferiores

SENADORES QUE PRETENDEM REVELAR VOTO SÃO AMEAÇADOS


Previdência: para incluir militares, governo negocia aumento de gratificação

Sete traficantes da família do norte morrem em tiroteio com a rocam na Zona Norte de Manaus.

Após desistência de Renan e duas votações, Davi Alcolumbre é eleito presidente do Senado em 1º turno

Encontrado o segundo submarino da 'frota perdida' de Hitler


Médicos colocam sonda em Bolsonaro após presidente apresentar náuseas e vômito



Médicos colocam sonda em Bolsonaro após presidente apresentar náuseas e vômito


Bolsonaro em reunião por vídeoconferência direto do hospital com o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno — Foto: Divulgação/Presidência da República

O presidente passou por uma cirurgia para a retirada de uma bolsa de colostomia e a ligação entre o intestino delgado e parte do intestino grosso na segunda-feira (28).Por G1 SP — São Paulo
02/02/2019


O presidente Jair Bolsonaro teve náuseas e vômito neste sábado (2) e os médicos precisaram colocar uma sonda nasogástrica para melhorar o quadro clínico dele, que está no quinto dia de internação após cirurgia realizada no Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo.


Segundo o boletim médico "o excelentíssimo Presidente da República, Jair Bolsonaro, permanece internado no Hospital Israelita Albert Einstein. Mantém-se sem dor, afebril e com exames laboratoriais normais. Encontra-se com sonda nasogástrica devido a episódio de náuseas e vômito. Continua em jejum e nutrição parenteral exclusiva."


De acordo com o documento, "por ordem médica, o paciente segue com visitas restritas", diz o boletim assinado pelos médicos Antônio Luiz Macedo, cirurgião; Leandro Echenique, clínico e cardiologista; e Miguel Cendoroglo, Diretor Superintendente do Hospital Israelita Albert Einstein.


O presidente passou por uma cirurgia para a retirada de uma bolsa de colostomia e a ligação entre o intestino delgado e parte do intestino grosso na segunda-feira (28).



Bolsonaro tem náuseas e vômito neste sábado — Foto: Reprodução


Recuperação


Quatro dias após cirurgia realizada no Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) mantém boa evolução clínica, segundo boletim médico divulgado nesta sexta-feira (1º).


De acordo com o boletim, ele "já apresenta sinais de início dos movimentos intestinais". "Segue com dieta parenteral (endovenosa) exclusiva, sem infecção ou outras complicações. Realiza fisioterapia respiratória e períodos de caminhada fora do quarto. Por ordem médica, o paciente segue com visitas restritas."



Ainda nesta sexta-feira, Bolsonaro divulgou um vídeo, em sua conta no Twitter, em que aparece chorando ao assistir a uma dupla cantando "Evidências", de Chitãozinho e Chororó.


Também nesta sexta, o presidente fez sua primeira vídeoconferência no gabinete provisório montado no hospital. A reunião foi com o ministro Chefe do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno.


Em coletiva nesta quinta, o porta-voz, Otávio do Rêgo Barros, disse que o presidente está tentando se manter sem falar, mas a recomendação médica é difícil de ser acolhida por Bolsonaro. “O presidente é difícil, ele está falando já. A despeito do médico dizer para ele ficar calado, ele já está falando.”


“Hoje [ontem] ele despachou tête-à-tête com o doutor João. Eu diria que ele vem tentando se adaptar-se à essa recomendação, mas o espírito dele é liderar pelo exemplo, pela conversa, pela convicção daquilo que vem pondo aos seus ministros. Eu tenho de reconhecer que é difícil e ainda ele se domina nessa questão de falar, mas tem procurado atender aos ditames que os médicos lhe impõem”, completou.


Sobre a melhora do quadro clínico de Bolsonaro e a possibilidade de ele já ter conversado com algum ministro, Barros disse que o presidente “não fez videoconferência e ao menos que eu saiba ele não conversou com ministros hoje. Mas no próprio quarto já conversa com a esposa, com os filhos e assessores.”

G1

Filho coloca mãe no Asilo e ela ensina que “quem planta colhe um dia”

Pensão por morte, auxílio-reclusão e aposentadoria rural em 2019 terão novas regras de cancelamento no INSS