Como adiantar sua aposentadoria no INSS (completo)

Regras mais rígidas para concurso público entram em vigor

Regras mais rígidas para concurso público entram em vigor
BONDE

Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Estabelecidas por decreto editado em março, as novas regras para a realização de concursos públicos entram em vigor hoje (1º). Caberá ao Ministério da Economia analisar e autorizar todos os pedidos de concursos públicos na administração federal direta, nas autarquias e nas fundações. 

Agora, o Ministério da Economia levará em conta 14 critérios para autorizar a realização de concursos. Um deles é a evolução do quadro de pessoal nos últimos cinco anos pelo órgão solicitante, com um documento que deve listar movimentações, ingressos, desligamentos, aposentadorias consumadas e estimativa de aposentadorias para os próximos cinco anos. 

O ministério também avaliará o percentual de serviços públicos digitais ofertados pelo órgão. O governo quer que os órgãos invistam em soluções tecnológicas para simplificar o acesso aos serviços públicos, de forma a atender melhor à população e reduzir a necessidade de pessoal.

Todos os anos, os órgãos federais encaminham os pedidos para a realização de concursos até 31 de maio. Após esse prazo, a Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGP) examina todas as demandas, de acordo com as prioridades e necessidades do governo. O resultado desse processo é levado em conta na elaboração do Orçamento do ano seguinte, que é enviado ao Congresso no fim de agosto. 

Somente após a análise, o Ministério da Economia autoriza o concurso, por meio de portarias no Diário Oficial da União. Cada órgão ou entidade federal estará liberado para organizar o concurso conforme o número de vagas liberadas. 

O Artigo 169 da Constituição condiciona a admissão ou a contratação de pessoal à autorização específica da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que define metas e prioridades para o Orçamento. Discutido pelo Congresso ao longo dos últimos quatro meses do ano, o Orçamento Geral da União reserva os recursos para as contratações.
Agência Brasil
BONDE

BENEFÍCIOS Veja quem recebe o maior valor de aposentadoria do INSS

COMBATE AO TABAGISMO Índice de fumantes volta a cair no país; em 12 anos, tabagismo diminuiu 40%



PRF apreende fuzil, pistolas e munições escondidas em carro de passeio

Os “Valle do laranjal” e a bomba-relógio do “Filho 01”

Os “Valle do laranjal” e a bomba-relógio do “Filho 01”

Fernando Brito

 

Publicado originalmente no blog Tijolaço
POR FERNANDO BRITO
Juliana Dal Piva, em O Globo, publica hoje um extenso relato da vida da família Valle, da qual faz parte Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro. Não teriam interesse algum se a família Valle não tivesse nove parentes contratatados no gabinete dele e de Flávio Bolsonaro, no período em que este foi deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.
Aparentemente, trata-se de gente com vida modesta, até com dificuldades para sobreviver, unidos apenas pelo fato que nunca foram, de fato, assessores de coisa alguma.
Dificilmente pode ter embolsado tudo sem fazer nada, durante anos, sem ter enriquecido. Uma década recebendo quase R$ 9 mil, morando nos fundos da casa dos pais e tendo de fazer faxinas para viver?
Juliana foi atrás de todos eles. Foi atrás, porque todos fogem do assunto, porque não tem uma “história plausível” para contar.
De pouco adiantará o silêncio, agora que seu sigilo bancário foi quebrado e tranferências ou saques em dinheiros sistemáticos serão documentados.
O ex-sogro de Bolsonaro, um dos parentes que bateu o telefone à reporter, chegou a dizer que vai “acabar em pizza”.
Certamente não para Fabrício Queiroz, dificilmente para Flávio Bolsonaro. E é bom Jair já ir torcendo para não haver sido deixado algum “rabo de palha” para ele.
Bolsonaro, como se viu, não era apenas uma família, mas uma franquia de mandatos para resolver as necessidades da troupe.
O “ZeroZero” também vai dizer que não sabia que seu filho sustentava toda a família de sua ex-mulher?
Que é uma bomba-relógio, todos estão vendo. Que vai estourar, também. Só resta saber o seu potencial destrutivo.
DCM

MEI: Está precisando de crédito? Aprenda a fazer seu cartão BNDES

MEI: Está precisando de crédito? Aprenda a fazer seu cartão BNDES

Aneel terá que retirar valores cobrados a mais em contas de luz