• *19º FESTIVAL DE MÚSICA DE OURINHOS* 🎼

Aluno cria pulseira que dá mais segurança a deficientes visuais

VAGAS DO PAT OURINHOS PARA O DIA 02/07/2019

PMs resgatam três mulheres prestes a serem executadas no tribunal do crime do PCC

INSS: Aposentado por invalidez pode exercer algum tipo de trabalho?


Mãe foi chamada à escola da filha por causa deste desenho


OURINHOS... _OLHA O ABSURDO!_

Médico conta toda a verdade sobre homem que teria sido refém de urso

Filho de Mourão deixa assessoria da presidência do Banco do Brasil, mas mantém salário de R$ 36 mil


*Moradores do Jardim Eldorado, Orlando Quagliato e arredores ganham Pista de Caminhada e Ciclovia*


DESCOBERTA GIGANTE RESERVA DE ÁGUA DOCE EMBAIXO DO OCEANO ATLÂNTICO


A caixa-preta de Lula e Dilma


Depois das ruas, a cadeia


“Tem que existir, cara, tem que existir troca de favores”

PF indicia assessor do ministro do Turismo em caso de candidaturas laranjas

Mais de R$ 4,6 milhões apreendidos em avião seriam usados para a compra de ouro, diz advogado

Barracão cheio de combustível explode na Grande Curitiba


Conselhos aos delatores

Bolsonaro, 6 meses: presidente contraria discurso e mantém 'toma lá, dá cá' com o Congresso

Bolsonaro, 6 meses: presidente contraria discurso e mantém 'toma lá, dá cá' com o Congresso
Camila Rodrigues da Silva, do UOL

Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito com a promessa de acabar com o chamado "toma lá dá cá", ou seja, com a obtenção de governabilidade em troca de emendas parlamentares e de cargos federais

Mas seus primeiros seis meses de gestão, concluídos neste domingo (30), mostram que, apesar de algumas mudanças, o modelo continua sendo praticado.

Outra marca deste primeiro semestre do "presidente antissistema" foi dividir o esforço para aprovar a reforma da Previdência com o empenho em propostas até então secundárias na agenda nacional, como a contagem de infrações na carteira de motorista, fim do horário de verão e do tratamento de autoridades por "Vossa Excelência" em órgãos federais, e o fim da multa para motoristas com criança fora da cadeirinha.

Enquanto há clareza na agenda econômica, foca na Previdência, há críticas à condução política do governo, destacadas em artigo do jornalista Leandro Colon, e à falta de clareza dos projetos sociais, como aponta a deputada federal Tabata Amaral (PDT): 'quais políticas e projetos palpáveis o governo tem para a educação, a saúde e a moradia?'.

Outro destaque do dia são as avaliações dos atos a favor do ministro da Justiça, Sergio Moro, e do governo Bolsonaro, que ocorreram em mais de 70 cidades neste domingo (30). Avaliação geral: foram significativamente menores do que os de 26 de maio. 

Além disso, houve um racha: apesar do consenso no apoio irrestrito a Moro e à operação Lava Jato, os movimentos organizadores da manifestação na Avenida Paulista, em São Paulo, divergiram em outros pontos, principalmente no alinhamento ao governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Por fim, mais um capítulo do caso da morte do pastor em Niterói (RJ): em entrevista a TV, a deputada federal e cantora gospel Flordelis dos Santos Souza (PSD-RJ) afirmou que seu marido, Anderson do Carmo, assassinado há duas semanas, teve desentendimentos com Lucas dos Santos, 18, um dos filhos adotivos do casal, preso temporariamente pelo crime. Ela também revelou que teve uma noite romântica com o marido antes da morte dele.

UOL

Brasil é o país que mais pesquisa a palavra homofobia na internet


PRF apreende meia tonelada de cocaína no litoral

PCC e Comando Vermelho estão presentes em seis cidades do DF

Cadete confunde sargento com bandido e os dois trocam tiros no Santa Cândida

Cadete confunde sargento com bandido e os dois trocam tiros no Santa Cândida
TRIBUNA DO PARANÁ

Foto: Arquivo/Tribuna do Paraná

cadete e um sargento da Polícia Militar (PM) trocaram tiros na madrugada deste sábado (29) em Curitiba, por ambos acreditarem que estavam lidando com criminosos. A confusão aconteceu na Rua Fernando de Noronha, próximo a Rua Theodoro Makiolka, no bairro Santa Cândida. Apesar dos tiros, ninguém se feriu e os dois descobriram que se tratavam de dois policiais.
A situação aconteceu no momento em que o cadete passava pela Rua Fernando de Noronha e viu um homem forçando um portão. Segundo o cadete, o homem estava acompanhado de outro rapaz e, ao tentar abordar, por achar a atitude de forçar o portão estranha, o homem que forçara o portão acabou disparando contra ele.
Com o disparo, o cadete teria reagido, mas sua pistola pifou. Para evitar que algo pior acontecesse, o policial entrou no carro e pediu ajuda de uma equipe da PM, que voltou com ele ao local.
Quando o cadete voltou, acompanhado de uma equipe policial, os policiais conversaram com o homem que antes tinha sido visto forçando o portão e só então descobriram que ele era um sargento da corporação, que já está na reserva. De acordo com o boletim de ocorrência, o sargento teria dito que foi abordado por um homem que disse “perdeu, perdeu” e que este homem seria o cadete.
Ainda conforme consta no boletim, o portão da casa que o sargento forçava era de sua própria casa. Os policiais foram orientados e, como ninguém se feriu, a situação foi encerrada ali mesmo.
TRIBUNA DO PARANÁ

JACAREZINHO: SITIANTE REAGE A ASSALTO E ACERTA TIROS EM LADRÕES


Manipulação no comércio eletrónico? Mais de mil sites estão a "enganar" os consumidores